Este blogue é organizado pelo Clube de Escrita da Escola Básica 2,3 de Santana. Publica textos escritos por qualquer aluno desta escola. Podem ser poesias, histórias, reportagens, opiniões, etc.. Editará ainda textos de autores conhecidos escritos para crianças e jovens.

2006/03/28

Vicente Pereira (5º C)

POESIA

A poesia é como uma flor a brilhar,
é como a brisa do mar.

A poesia é como o pôr-do-sol,
é como o lento caracol.

A poesia é como a Natureza,
quando ouvimos os pássaros a piar.

A poesia é a paixão de escrever,
é o amor pela escrita.

Rafael Santos (6º C)

VIOLÊNCIA NA ESCOLA

Boa para alguns, má para a maior parte, a violência na escola é vista e admirada por quase todos. As pessoas, não sei porquê, adoram a violência.
Eu acho que as principais causas da violência são: a televisão (programas de guerra ou de luta, telenovelas, etc.), maus tratos em casa e más experiências que se possam ter vivido em mais novo. Há muitas mais, com certeza, mas estas foram as de que eu me lembrei.
Agora aqui tens alguns conselhos para evitarem a violência:

1. Se vires dois amigos a discutirem, tenta acalmá-los em vez de te pores ao lado de um deles. E sobretudo não comeces a afastá-los à força ou a armar-te em violento, porque isso, em vez de acalmá-los, ainda os vai enervar mais.

2. Tenta não te meteres em confusões. Por exemplo, se vires que um amigo teu já não está a gostar de uma suposta "brincadeira" tua, pára imediatamente ou ainda vão acabar a discutir ou à pancada.

3. Vê menos programas na televisão do género "Morangos com Açúcar" ou "Smackdown"... Afinal a televisão é um vírus que gera ainda mais violência.

Tenta seguir estes conselhos e vais ver que à tua volta vai existir menos violência.
A violência na escola tem que diminuir!!!

2006/03/07

João Paulo Adelino (5º F)

UM RAPAZ

É um rapaz
feio e rugoso.
É um rapagão
mais gordo que ranhoso.

É um rapaz,
usa cuecas rotas.
Tem dez namoradas
E são todas roucas.

Gonçalo Vidal (5º F)

O RODRIGO

O Rodrigo
roeu
as ruas
de Roma.
Os romanos
zangados
roeram
as roupas
do Rodrigo.

Vicente Pereira (5º F)


POEMA DO CHINÊS

Chinês,
tens um gato maltês.

Chinês,
levas o gato maltês
ao Gerês.

Chinês,
encontraste no Gerês
a Inês.

Chinês,
a Inês
contou até três.

Chinês,
disse a Inês
que sabia falar francês.

Chinês,
perguntaste à Inês
qual era o mês.

Chinês...
(Veio o gato maltês
e xixi nas calças do chinês
fez.)

Chinês,
a Inês
disse que viu um inglês.

Chinês,
disse a Inês
que viu um português.

Chinês,
uma mulher muito gira vês.

Catarina Carvalho (5º F)

A RAPAZIADA

Eram onze rapazes
A lavar os pés,
Veio uma banhista,
Ficaram só dez.

Eram dez rapazes
A comer do pote,
Veio uma oleira,
Ficaram só nove.

Eram nove rapazes
A discutir por um biscoito,
Veio uma gulosa,
Ficaram só oito.

Eram oito rapazes
Sentados numa carpete,
Veio uma tecelã,
Ficaram só sete.

Eram sete rapazes
Que ficaram reis,
Veio uma princesa,
Ficaram só seis.

Eram seis rapazes
A chatear um pinto,
Veio a mãe galinha,
Ficaram só cinco.

Eram cinco rapazes
A dar comida a um pato,
Veio uma perua,
Ficaram só quatro.

Eram quatro rapazes
Com olhos de chinês,
Veio uma chinesinha,
Ficaram só três.

Eram três rapazes
A chicotear dois bois.
Um irritou-se,
Ficaram só dois.

Eram dois rapazes
A comer um peru,
Veio uma matadora
E ficou só um.

Era um rapaz
A dormir num berço.
Veio uma faca,
Ficou só um terço.